Hospital Dr. Homero de Lima Menezes

O HOSPITAL


História

Dr. Homero Lima Menezes, filho de Raul Figueiredo Menezes e de Teodorica Lima Bandeira Menezes (descendente de Rafael Pinto Bandeira), nasceu no Cerro do Ouro, distrito de São Gabriel, na Estância Panorama, no dia 10 de agosto de 1911, o quarto entre 17 irmãos. Mudou-se para a sede o município a fim de estudar sendo patrocinado por sua tia Dorvina Menezes Neves. Ao concluir o estudo primário em São Gabriel foi estudar no Colégio Marista em Santa Maria, onde concluiu o Ginásio e o Ensino Científico. 


Em 1931 ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, onde se formou Médico em 1937 recebendo a Medalha de Menção Honrosa em Cirurgia como o melhor aluno da classe. Já formado fez estágio em Cirurgia na Universidade de Buenos Aires, no Serviço dos renomados cirurgiões Henrico e Ricardo Finochetto. 


Ao retornar de Buenos Aires fixou residência em São Gabriel, também trabalhando em Caçapava do Sul no hospital de Nair Figueiredo, sua prima. Em São Gabriel casou com Diva Cauduro Pilla com quem teve uma filha - Augusta, mais tarde teria um segundo casamento com Hilda Azambuja com a qual teria um casal ,Homero Lima Menezes Filho e Lorena Menezes Assmann, e já viúvo de Hilda casaria com Nedi Mara do Rosário com quem teve Homero Lima Menezes Júnior.


Durante a Segunda Guerra Mundial foi convocado trabalhando como Capitão Médico em Uruguaiana e Santa Maria. Após a Segunda Guerra, já casado com Hilda, foi trabalhar em Ibarama e logo a seguir em Sobradinho e Tamanduá, construindo um hospital em cada uma dessas duas localidades, sendo que o de Sobradinho leva seu nome. O atual Hospital Dr. Homero teve sua primeira ala inaugurada em 1947.


Na década de 60 foi iniciado na maçonaria, em Santa Cruz do Sul, época em que participou dos Clubes de Serviços de Sobradinho, onde dirigiu o Posto de Saúde do Governo do Estado. Em vida recebeu diversas homenagens por sua contribuição ao bem estar da comunidade.

 

No início da década de 70 (1969 a 1973) foi eleito Prefeito de Sobradinho pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Época em que, já viúvo, deu guarida e estudos a mais de uma dezena de sobrinhos dispondo aos mesmos sustento e educação. Seu gosto pela cultura era visível através de sua biblioteca com alguns milhares de volumes entre livros e revistas e por seu conhecimento corrente de francês, inglês, espanhol e latim. Diversos de seus sobrinhos alcançaram formatura de ensino superior (inclusive dois médicos) graças aos seus esforços em favor da educação, um dos pilares de sua administração no município, inspirado pela sua amizade com Leonel de Moura Brizola.

 

Em 12 de novembro de 1985, atendido em Porto Alegre, faleceu devido a complicações de diabetes, deixando quatro filhos, entre eles um médico que segue seus passos e seu exemplo de vida. Assim se encerraria a vida de um homem bondoso e de gênio forte, reconhecido como benfeitor dos desafortunados aos quais nunca deixou faltar assistência médica e uma palavra de conforto e acolhimento.